Notre-Dame

Diz a lenda que um soldado nazi, incumbido de dinamitar Notre-Dame, não o conseguiu fazer porque achava criminoso destruir tamanha beleza e engenho. A ironia é que foi algo mais ‘suave’ do que uma ocupação militar a conseguir infligir dano na catedral.

Lembro também, em paralelo, a amarga ironia, e estes casos li-os nos jornais, há tempos, do pai que vai em peregrinação a Fátima para pagar a promessa da cura da sua enferma filha. A menina recuperou. O pai, enquanto peregrinava, foi atropelado mortalmente.

Um outro caso: o ancião judeu que se salvou dos campos de concentração nazis. Viveu durante décadas. Já quase nonagenário foi assassinado por um militante neo-nazi.

Um dos filmes que me impactou a adolescência continha esta frase: ‘a vida tem um sentido de humor doentio’.
Pois…

notre-dame-fogo-incêndio